A COMUNICAÇÃO TRANSBORDA O DIPLOMA


Quem é o comunicador empresarial hoje? “Alguns se apresentam como jornalistas, outros como RPs, mas também somos economistas, publicitários, designers, arquitetos, administradores, estatísticos e mais uma enorme quantidade de profissionais”, explica a presidente do Conselho Diretivo da Associação Brasileira das Agências de Comunicação (Abracom), Gisele Lorenzetti.

A revelação não espanta quem hoje atua no setor, porque a comunicação transbordou os limites dos diplomas de especialização e se espalha por sobre um vasto campo de competências e capacitações para poder atender à demanda de um mundo cada vez mais complexo.

Essa é uma realidade que confronta o conceito de que a área deveria abrigar apenas os “especialistas” oriundos das faculdades de Comunicação. É uma realidade que, inclusive, começa a desafiar os limites da CLT. Por conta disso, a Abracom lançou um amplo projeto de identidade setorial que posiciona a entidade e a profissão do comunicador corporativo diante de um novo universo de possibilidades e oportunidades.

Seu título é abrangente e indicador: “Somos Comunicação Corporativa”, indicando de forma indireta, mas clara, o acolhimento, dentro da classificação, das profissões e habilidades que juntas fazem deste um dos mais dinâmicos e inovadores setores econômicos do Brasil, hoje. O O segmento de comunicação corporativa tem crescido de forma consistente e movimentou 2 bilhões de reais em 2014. As agências brasileiras geram mais de 15 mil empregos. Grandes grupos internacionais já estão chegando ao mercado brasileiro.

A razão dessa expansão é simples. “A comunicação corporativa nos últimos anos e ganhou importância estratégica, e para atender à crescente demanda por produtos e serviços, as agências precisaram recorrer à expertise de profissionais de diferentes áreas do conhecimento, formando equipes multidisciplinares”, detalha Carlos Carvalho, presidente-executivo da Abracom.

“Estamos desconstruindo uma jabuticaba brasileira porque no resto do mundo já é assim. Fora do país, as grandes agências já trabalham com equipes multidisciplinares, não sendo a atividade exclusividade de uma ou outra categoria profissional”, diz ele.

A Abracom tem evidências concretas da metamorfose por que passa o setor no Brasil. Pesquisa da entidade realizada em 2003 mostrava que 85% dos profissionais que trabalhavam nas agências eram formados em jornalismo. Novo levantamento, feito dez anos depois, revelou que esse percentual caiu para 52%, com grande pulverização dos outros 48% entre mais de duas dezenas de formações distintas.

A campanha “Somos Comunicação Corporativa” conta com hotsite (http://abracom.org.br/somoscomunicacao/) e páginas nas redes sociais e será divulgada entre os principais públicos envolvidos como setor comunicação corporativa. E será um dos temas principais, com certeza, do seminário que a Abracom realizará em Minas Gerais em Maio.

Estamos em ebulição.


Posts Recentes
Arquivo