Minha experiência com o home office


MINHA EXPERIÊNCIA COM O HOME OFFICE

Em quarentena desde o dia 23 de março, a adaptação ao home office foi tranquila. Ajudou muito o fato de nossa equipe estar bem integrada e haver muita sintonia entre nós.

Temos sorte de estar em um ramo de atividade que permite o trabalho remoto sem muita dificuldade. Escrever, produzir conteúdo, pensar, bolar estratégias, revisar, produzir peças gráficas são atividades que não exigem deslocamento.

Com acesso à internet, um celular e um computador, temos à nossa disposição uma infinidade de ferramentas que nos possibilitam alcançar o mundo. É claro que precisamos ter disciplina para que consigamos entregar nossas demandas.

Na PIQUINI decidimos pelo home office quando os casos da covid-19 em Minas contabilizavam 14 pessoas infectadas. A rapidez de adaptação da equipe foi fundamental para o sucesso da iniciativa. O ritmo de trabalho continua até mais intenso do que era antes.

É hora de ajudar

É que decidimos, além do atendimento aos clientes já em carteira, promover ações que pudessem ajudar empresas a superarem este momento de dificuldades. A primeira delas foi a campanha “É hora de ajudar”, na qual oferecemos consultoria gratuita a dezenas de pequenas e médias empresas com dúvida ou dificuldade de articular sua comunicação com empregados, clientes e fornecedores. O resultado foi além das nossas expectativas, pois serviu também para aproximarmos empresas participantes para que conseguissem desenvolver projetos em comum. Como foi o caso de uma empresa de software que desenvolveu uma ferramenta para atender a um hospital do SUS.

Diagnóstico PIQUINI

Uma segunda campanha foi criada para fazer um diagnóstico gratuito, analisando o desempenho das mídias sociais de empresas e medir sua efetividade. Estabelecemos alguns critérios de avaliação, analisamos e entregamos o resultado em dois dias. Neste momento, a campanha ainda está vigente e só teremos mais informações quando ela finalizar.

Mergulhamos nas lives

Além das campanhas citadas acima, participamos, por meio de nosso CEO, Marco Piquini, de inúmeras lives para falar sobre comunicação em tempo de coronavírus.

Relacionamento com nossos pares

Networking é importante em qualquer momento da vida, mas em momentos de crise ele se torna fundamental. Nesse sentido, intensificamos nossa aproximação com nossos pares para apoio mútuo e desenvolvimento de ações conjuntas visando fortalecer a atuação das agências de comunicação.

Time: a falta que ele faz

As reuniões virtuais diárias ajudam muito. Nelas alinhamos o que precisa ser feito, nossas dificuldades, problemas apontados pelos clientes, ideias, sugestões e sucessos.

Tudo muito bem, mas sinto falta do contato presencial. Eu e 99% da população mundial. Rs, rs, rs. Esse é o nosso maior desafio. Superar a falta que faz os colegas, amigos e parentes. Driblar a ausência da troca de experiências diárias, os estímulos e a criatividade que o trabalho em equipe proporciona.

Por hora, a saída é olhar para dentro de nós mesmos e encontrarmos força e energia para emergirmos desta pandemia mais fortes do que entramos.


Posts Recentes
Arquivo