A COMUNICAÇÃO E O CORONAVÍRUS


“Em tempos difíceis, leia, aprenda, trabalhe em cima da coisa, pesquise a literatura a respeito... Informação significa controle.”

A frase é de Joan Didion, uma das mais respeitadas escritoras dos EUA, no livro “O Ano do Pensamento Mágico”, e é uma sugestão de como as pessoas devem agir em momentos de crise. Segundo ela, devemos estudar o tema que nos aflige, que nos perturba ou atrapalha, aquilo que entrou “atravessado” em nossos planos e que agora requer uma reação de contingência. A ideia é simples: com mais informação, poderemos reagir melhor ao desafio que temos pela frente. Parece um conselho óbvio, mas às vezes reagimos às emergências sem pensar direito.

Agora, você já parou para pensar que a Comunicação vive um desses momentos com o coronavírus? Um momento em que devemos nos preparar para agir com segurança e assertividade? Já imaginou que essa crise é uma oportunidade para mostrarmos grande valor para nossas empresas e nossas comunidades?

A Comunicação, antes de tudo, deveria saber tudo o que precisa a respeito da pandemia, usar fontes oficiais de informação, transmitir dados factuais e processuais que sirvam para o bem comum. Campanhas internas esclarecedoras e de prevenção de contágio bem desenhadas e engajadoras seriam uma contribuição e tanto, por exemplo.

Bem informada, a comunicação contribuiria de forma decisiva em um “Comitê de Crise” que deve ser criado e deve envolver as áreas de RH, administrativa, financeira, legal, entre outras. Com esse perfil, o comitê pode pensar em várias direções e, assim, antecipar-se às questões que aparecerão à mesa pela primeira vez. Um exemplo entre tantos: como vamos administrar a situação se a empresa adotar o “home office” como prática de trabalho?

Essa é a hora da Comunicação, com suas capacitações e talentos, pensar em como ajudar a empresa a manter-se relevante para seus clientes. Não são campanhas para “vender produtos”, mas de posicionamento (que pode ajudar em vendas também). Várias padarias brasileiras passaram a distribuir gratuitamente parte de sua produção diária de pães para pessoas que já estão em dificuldade por conta da paralisia econômica provocada pelo vírus. O índice de solidariedade à essa ação é enorme.

Quanto tempo a crise vai durar e o que fazer agora e mais à frente são perguntas sem respostas definitivas. Mas acompanhar e planejar soluções para os próximos momentos da pandemia é outra tarefa que serviria bem à Comunicação. Observar as mudanças econômicas e de comportamento que o vírus está provocando pode ser útil para que, no momento adequado, novos projetos de comunicação possam ser lançados para reposicionar a empresa em uma nova fase de crescimento e recuperação.

Enfim, não é hora de ficar parado. Ler, aprender, trabalhar em cima da coisa, pesquisar a literatura a respeito, como sugere Joan Didion. “Informação significa controle”, lembra ela. É hora, portanto, de nos prepararmos ainda mais e de pensar estrategicamente, para nos posicionarmos de forma a contribuir com nossas organizações. E aumentar nosso valor no mercado.


Posts Recentes
Arquivo