Consumidores 4.0: chatos ou mais conscientes?


Consumidores 4.0: chatos ou mais conscientes?

Se você acompanha as mudanças que estão ocorrendo no mercado e no mundo do consumo, já percebeu que estamos todos bem mais conscientes. Ou, talvez, mais chatos. Bem, seja qual for a definição, elas são características do novo “consumidor 4.0”. Não conhece?

Deveria. Porque talvez você já seja um deles e porque sua empresa precisará saber lidar com eles. E então, vamos explorar os motivos pelos quais devemos prestar atenção a esse novo consumidor?

Com o tempo, opiniões e costumes da sociedade mudam. A tecnologia é um acelerador dessa mudança. As redes sociais, por exemplo, se tornaram onipresentes e têm hoje o poder de difundir opiniões e impor tendências de forma massiva. E, consequentemente, elas acabam determinando nossos hábitos de consumo. Isso provocou uma mudança na forma como olhamos para o mercado.

As relações entre consumidores e empresas evoluíram passando pelos seguintes estágios: Consumidor 1.0 - sem acesso a informações, e sem muitas opções, ele se preocupava com as soluções que o produto oferecia. O aumento da concorrência fez do Consumidor 2.0 mais exigente perante o produto, comparando as marcas e as promessas de venda. O consumidor 3.0 deu um passo além: passou a se identificar com as marcas, em busca de uma identificação de lifestyle ou valores.

O consumidor 4.0, por sua vez, é aquele que, com a internet na ponta do dedo, pode comparar preços e opiniões de outros clientes. E muito mais. Ele consegue se informar sobre os processos da manufatura do produto, as consequências sociais e ambientais que sua produção pode ocasionar. Verifica qual é o posicionamento da empresa em questões gerais e específicas, que sejam relevantes para ele, consumidor. Como a empresa trata a questão feminina, por exemplo. É, portanto, um consumidor que está muito bem-informado e defende pautas importantes.

Isso faz dele, consequentemente, muito mais atento e exigente. Isso quer dizer que ele é “chato”? Bem, o consumidor 4.0 faz de seu poder de compra um instrumento de posicionamento pessoal e político. Ele usa a sua escolha para defender causas que são importantes para ele. No fundo, ele não está sendo “chato”, ele está se impondo como cidadão e procura colocar seu julgamento acima do marketing das marcas.

Por isso, empresas que vendem produtos e serviços devem estar atentas a esse movimento. Ele coloca em evidência a empresa em sua totalidade: seus produtos e serviços, claro, mas também sua filosofia de trabalho, a forma como gerencia o relacionamento humano dentro e fora da empresa, a maneira como se posiciona perante esta ou aquela causa. Empresas precisam olhar para dentro de si, descobrir suas fortalezas morais, assumi-las, defendê-las. E buscar seu espaço.

As redes sociais, já dissemos, têm papel importante na informação e formação do novo Consumidor 4.0 que está cada vez mais “digital”. Mas se engana quem pensa que ele prefere apenas relações robotizadas. Muito pelo o contrário. Embora cada vez mais antenado tecnologicamente (usando, inclusive, as redes sociais para elogiar ou reclamar de uma empresa), ele quer ter experiências cada vez melhores. E isso abre espaço para um relacionamento mais humanizado e personalizado.

Complicado, né? O que fazer então com o consumidor 4.0? Bom, abaixo listamos algumas dicas que coletamos depois de pesquisar muito sobre o assunto. Pode ser interessante.

Coloque o consumidor em primeiro lugar

O consumidor é agora a peça-chave para o sucesso da empresa e, por isso, a empresa deve saber tudo sobre ele. Faça uma pesquisa. Descubra seus desejos e seus pontos de identificação, para que sejam expressos em seus produtos e em sua comunicação.

Faça investimento no atendimento ao cliente

O consumidor 4.0 busca novas experiências e um um relacionamento com a marca. É importante treinar uma boa equipe de profissionais para atender os clientes, bem como oferecer uma boa plataforma de chat online. Se ele tiver uma boa experiência, se sentir que recebeu um atendimento personalizado e cuidadoso, ele pode se tornar muito leal à marca, ainda mais se você conseguir deixá-lo satisfeito ao resolver um problema. Lembre-se de duas coisas: 1- o cliente (quase) sempre tem razão. 2- faça de um problema um case de sucesso.

Tenha uma ampla presença nas redes sociais

Assim como o Consumidor 4.0 está muito presente nas redes, até mesmo produzindo conteúdo e se autopromovendo, sua empresa também deve estar. Porém, deve fazer isso de forma estruturada, com gente que entenda o funcionamento, a linguagem e a dinâmica dessas plataformas (acredite: é uma nova forma de pensar e agir), com produção de conteúdo relevante, isto é, que seja do interesse do cliente.

Procure comunicar de maneira clara os valores da sua empresa

Sinceridade e transparência valem ouro. Se a empresa comunicar bem seus valores, é provável que chame atenção do consumidor que se identifica com esses valores e pode ficar interessado no que a marca pode oferecer. Produzir conteúdo que promova o seu produto e que consiga promover o que a marca defende é uma boa estratégia.

Mas lembre-se: a empresa deve acreditar em seus valores e praticá-los. O Consumidor 4.0 sabe o que quer (ou pensa com força que sabe), está muito atento aos valores e às práticas das empresas e identifica mais facilmente quando alguém tenta “enrolá-lo”.

E aí, se identificou com o exigente Consumidor 4.0? Ou sua empresa ainda acha que ele é um “chato”?

#comunicador #comunicação #estratégiadecomunicação #comunicaçãoestratégica #consumidor40 #consumoconsciente #redessociais #atendimentoaocliente #valores #consumidoremprimeirolug

Posts Recentes
Arquivo