Quatro atitudes essenciais para os comunicadores hoje


A crise provocada pela pandemia traz risco de morte planetário, mudou completamente a rotina de vida de todos e, para completar, desestabilizou a economia do mundo. Com um fator complicador adicional: o legado será uma realidade completamente diferente daquela que conhecíamos antes da crise.

Antes de arrancar os cabelos e sair por aí gritando, é interessante olhar a história e ver que todas as crises são mais ou menos assim. Algumas podem não ter tido o fator de um vírus maligno e seu gigantesco rastro de mortes, mas todas provocaram grandes mudanças no mundo e na vida das pessoas. E, como em todas as crises, há quem nelas enxergue – e aproveite – oportunidades para crescer.

A atual crise abre uma oportunidade sem precedentes para a comunicação corporativa e os profissionais envolvidos com ela: RPs, jornalistas, publicitários, designers gráficos, videomakers e por aí vai. Há muitas forças que nos empurram para essa direção. Vamos citar só duas.

Primeiro, resultado direto da crise, é a ascensão do mercado virtual (135 mil e-commerces foram abertos no Brasil de março para cá, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico). Todos passamos a comprar pela internet: comida, roupas, equipamentos, “you name it, you have it”.

O segundo fator, que não deriva da crise, mas que será potencializado por ela, é a presença cada vez mais marcante da vigilância e cobrança da opinião pública sobre as empresas por meio das redes sociais. Seja quais forem as manifestações do “novo normal”, elas acabarão gerando novos e importantes grupos de pressão digital. O posicionamento das empresas (coisa que está muito nas mãos dos comunicadores, ou pelo menos deveria estar) vai contar muito daqui para a frente.

Entender esse novo mundo de comunicação digital será essencial. E esta é a oportunidade que muitos comunicadores esperam há muito tempo. Mas, como aproveitá-la? Quatro atitudes ajudarão os comunicadores a se posicionarem para aproveitar este momento histórico. São elas:

1- Protagonismo. É hora de nos posicionarmos dentro das organizações. É hora de “levantar” a mão e dizer que podemos ajudar a empresa. Precisamos criar coragem, “colocar a cara a tapa”.

2- Interlocução. Os problemas que queremos resolver são também os problemas de outras áreas. Devemos usar nossa capacidade de articulação transversal para angariar apoio das demais áreas aos projetos da Comunicação. Com apoio de colegas, podemos ir muito além.

3- Mente aberta. Dadas as mudanças que estão ocorrendo no mundo, aquilo que sabemos pode não ser mais suficiente. Precisamos entender mais de economia, de finanças, de projetos, de psicologia do trabalho, de tecnologia, de computação... e, claro, de Comunicação. Estudar está na moda.

4- Velocidade de implantação. O mercado e as pessoas querem velocidade. Temos de ser rápidos. Planejar, preparar e implantar rapidamente nossos projetos, sem perder o cuidado e a qualidade de execução. Essa é uma exigência do mundo de hoje.

As oportunidades estão aí. Quem quer se aproveitar e crescer com elas?

#crise #comunicação #comunicaçãoestratégica #estratégia #estratégiadecomunicação #comunicador #comoagir #interlocução #protagonismo #menteaberta #velocidade

Posts Recentes
Arquivo

© 2016 Todos os direitos reservados. Criado por Agência Zíper.